sábado, 10 de dezembro de 2016

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

O espelho partido do amor.

Eu não vou desistir de enxergar e sentir além do espelho quebrado dos corações descrentes da vida. Porém eles não mais vão me prender em seus cacos, pois eu já me desfiz das repetições associadas a acreditar que amar é sofrer. 

Denise Portes

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Que pena!

Que pena que as pessoas não conseguem ser amadas. 

Denise Portes

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Uma forma de sentir.

Perto de você comer mamão e banana tem sabor diferente, é que a minha alma fica contente. Sou contraditória, sou imensa. Tenho multidões dentro de mim, mas por mais que eu me perca pelo caminho nunca deixo de colocar a minha alma e o meu coração em tudo que faço e vivo. 

Denise Portes

domingo, 4 de dezembro de 2016

Morre o meu poeta amado Ferreira Gullar


Traduzir-se
Uma parte de mim é todo mundo
Outra parte é ninguém
Fundo sem fundo
Uma parte de mim é multidão
Outra parte estranheza e solidão
Uma parte de mim, pesa
Pondera
Outra parte, delira
Uma parte de mim almoça e janta
Outra parte se espanta
Uma parte de mim é permanente
Outra parte se sabe de repente
Uma parte de mim é só vertigem
Outra parte, linguagem
Traduzir uma parte noutra parte
Que é uma questão de vida ou morte
Será arte?
Será arte?
Ferreira Gullar

sábado, 3 de dezembro de 2016

Sobre a tristeza.

Tem dias que a tristeza é da alma, do planeta, da vida corrida, da ansiedade desmedida. Outros dias a tristeza vem de fatos corriqueiros e até de uma lembrança que encontro no banheiro. Eu já me acostumei com os rombos e arrombo que a melancolia faz quando ela prepara o coração para a tristeza chegar, observo e espero ela passar. 

Denise Portes

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Sobre optar por você...

Eu sei, eu sei,vai ser muito difícil acreditar que eu passei a gostar mais mim. 

Denise Portes

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Resiliência.

A resiliência é um fôlego, um movimento de se reorganizar ao redor de uma ferida. 

Renata Carneiro

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Olhos nos olhos.

Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer
Olhos nos olhos, quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais. 

Chico Buarque

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Tempos de dor...

Não é gripe não, eu adoeci de tristeza na alma. 

Denise Portes

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Sobre a sorte.

A sorte é uma possibilidade que se tornou tangivél.

Renata Carneiro

domingo, 27 de novembro de 2016

Meu poeta.


O amor vai permanecer, mesmo que as palavras sejam esquecidas, que a presença não seja constante e que os caminhos sejam diferentes.

Caio Fernando Abreu  

sábado, 26 de novembro de 2016

Sobre estar encantada.

Eu gosto do jeito como você gesticula com as mãos, dessa sua forma séria de encarar a vida e das lágrimas que escorrem fácil quando você fica mexida.  Percebo quando você me olha e quer me desvendar, enxergo uma criança pura quando você sorri e uma mulher com marcas no seu sentir. Tem horas que eu acho que você gosta muito mais de mim do que você pode imaginar e tem momentos que eu acho que você quer ir embora pra não me encarar. Às vezes sei tanto de você e outras vezes não consigo te entender. Uma coisa eu tenho certeza: eu quero você. 

Denise Portes

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Minha poetiza



Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro. 


Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.


Clarice Lispector

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Sobre não resistir...


Não, meu bem, não adianta bancar o distante lá vem o amor nos dilacerar de novo... 

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Nas nuvens

Sentimentos são paisagens internas.

Renata Carneiro